Onde acaba toda arrogância…

Há algum tempo, estava pensando nos casos da vida e o que fazemos dela, então me deparei com a morte de um ente querido, e por incrível que pareça entre toda a tristeza me fez ter um pensamento positivo sobre a situação.

Em meio a analisar as pessoas ao meu redor percebi que ali onde estávamos seria o fim de todos e isso aconteceria mais hora menos hora para todos.

Ali naquele lugar onde ninguém gosta de ir, ou ficar entre o choro e as fofocas de enterro, percebi que tudo que o que fazemos ecoa pela eternidade sim,  e o que você se conquista, nada leva, é como dizem “DO BARRO VIEMOS, E PARA ELE VOLTAREMOS” praticamente nus.

As pessoas estão preocupara em demasia com coisas fúteis, remorsos e rancores, arrogâncias, e preconceitos e esquecem-se que quando a morte chega, tudo morre, pra baixo da terra vai nossa arrogância, nossos rancores, e depois de um certo tempo, ninguém mais vai lembrar que existimos…

Mas  a parte mórbida da “vida”, é bom pra quem tem consciência e sabe sentir não só as perdas mas também sentir que ainda se tem a vida.

Em meio a tanta tristeza, percebi que dessa vida a gente não leva nada, e o que fica são apenas lembranças.

Então não seria mais fácil vivermos da melhor forma que pudermos ser?

Almejarmos nosso melhor a cada dia, e praticar o que é bom no nosso espírito? Liberarmos o perdão, unirmos nossas famílias, cuidar com a língua ferina que as vezes fazem sons de facas encravadas na pele de quem amamos?

Dessa vida, a gente só leva o que fazemos nela, nossas atitudes, decisões, e tudo mais.

No fim de tudo termino esse texto um tanto triste, e também como forma de desabafo com um conselho clichê:

“Viva da melhor forma, e como puder viver, mas sem humilhar ninguém, mas também sem se frustar.

Abrace quem você ama, e diga todos os dias ou quantas vezes for necessário o quanto essa pessoa é importante pra você, afinal esse momento pode ser a última vez que você a veja, ou que ela te veja.

Conquiste o que quiser conquistar sem medo de arriscar.

Dê um bom dia, um sorriso para as pessoas, cara carrancuda deixa a alma pesada, e alma pesada deixa o coração frio.

Se tiver que fazer algo, faço-o, e faça da melhor forma que puder, não comece algo por começar.

Libere o perdão quando necessário, pois é um bom remédio, e ajuda a conviver melhor com você mesmo.

E acima de tudo, se entregue pra vida, respire, evite tanto estresse por coisa pequena, coma bem, beba água,  e como diz até o Pedro Bial “use protetor solar”.

Apenas viva o hoje sem  se preocupar com o que vai ser do amanhã, até porque o amanhã a Deus pertence.”

 

Sem apego, mais liberdade.

Devemos nos afastar de pessoas sangue-sugas, que só querem se nutrir de nossa boa vontade e de nossas energias vitais. Devemos ficar de olho com “amigos” que na teoria não nos querem bem, cair na real que nem todas as pessoas são boas. Não é feio confiar, mas é necessário ter um pé atrás para que não soframos, de anemia sentimental, mental e espiritual.

Algumas pessoas estão e ficam por perto, apenas para nos deixar para baixo, e se vivermos dia-a-dia assim, pode ser fatal, porque causa Insuficiência Vital. E cada dia vivido mais ou menos, ou vivido por gente que não merece, é um dia a menos vivido por nós mesmo.

txt

 

Não é egoísmo priorizar-se. Egoísmo é não se priorizar por medo de sofrer por algo que não está te fazendo bem. Mesmo assim tem a Dependência Sentimental de Apego, aquela doencinha chata que insiste em te manter perto do que não te faz bem, só pelo medo de perder o que, você já viu que nunca vai ser seu, pois pessoas tem vontade própria, e não são propriedades.

Elimine o que todo mundo já viu, inclusive você, elimine pessoas que estão te fazendo mal, pois permanecendo as mesmas nas linhas das nossas vidas, sempre corremos sérios riscos de perder a oportunidade de viver, e consequentemente nos entregamos a triste realidade do comodismo.
Convenhamos que o comodismo, deixa a alma pesada, o coração vazio e a mente ocupada- Simplesmente liberte-se para esperar o melhor. E não viva cada dia passado em águas mornas, pois a real intenção da vida é realmente viver até o último suspiro e aprender com todas nossas falhas, que nada mais é que o real sentido da nossa evolução.