Monogamia

Ah, o passado! Ele aparece na mente e não quer nem saber de sumir. Algumas vezes as lembranças são boas, mas na maioria nos mostra o que mais queremos esconder, esquecer. Seria fácil se ele ficasse apenas na cabeça, mas e quando outras pessoas conhecem esse lado sombrio? Fingir que nada aconteceu e mentir seria uma opção, mas e quando a pessoa que sabe tem grande importância na vida?

Algumas coisas como pequenos casos podem vir a tona, casos de quando se tinha 16 e 17 anos, tornando bem difícil a aceitação pela pessoa amada. É claro que confiança está em primeiro lugar, mas como provar que na atualidade aquela pessoa do passado cresceu e quer esquecer daqueles deslizes? Como mostrar que hoje o que realmente importa é dividir uma parte da prateleira de um guarda-roupa quebrado e não mais apenas dividir um pedaço do edredom. Como provar que dividir a escova de dentes é mais importante que apenas dividir uma parte do guarda-chuva. Ou melhor, como mostrar que apenas uma pessoa tem importância e não mais cinco de uma vez só?

O passado deixa marcas, muitas delas queremos esquecer. Esse passado é apenas uma história, como aparece na série Girls, você quer ter a experiência para que ela vire uma recordação. Mas hoje essas recordações só nos lembram o quão imaturas fomos um dia. O quão impulsivas nos tornamos apenas por um pedaço de carne. O quão aquilo nunca teve e nunca fez a diferença na vida, apenas hoje essa diferença aparece quando você exige credibilidade.

Um momento da vida você vai querer ter experiências monogâmicas, uma hora ou outra ela irá aparecer. Não adianta se esconder entre retratos e músicas do passado. Agora é o momento de escolher novas músicas, recordações e retratos que com o passar dos anos você realmente lembrará e sentirá falta.

Talvez isso seja amor, paixão ou qualquer nome que você queira dar. Mas estar com apenas uma pessoa é muito mais que apenas estar. É compartilhar sonhos, desejos, problemas, sexo e tudo de uma vez só. É ter amizade além de romance, é saber do que aquela pessoa precisa e fazer um agradinho, só para vê-la feliz. Monogamia é estar junto mesmo longe, pensar e sentir saudades durante o dia. Esses sentimentos não eram possíveis no passado, quando o único pensamento do dia era “quem eu vou pegar hoje”.

Monogamia é a prova de que aquele passado não existe mais e para mostrar que ele nunca irá voltar é apenas revelar o quão aquela pessoa faz a diferença durante o dia. Monogamia é a escolha de um estilo de vida, aquele que pode desencadear um futuro que você nunca imaginou um dia.

Homenagem para a mulher da minha vida

Estamos no mês de maio, o mês das mães e das noivas. Mas como ainda não sou e não conheço ninguém que está noiva, vamos homenagear as mães, em especial a minha.

Ser mãe não é nada fácil, primeiro quando se tem o bebê toda a atenção vai pra ele, são madrugadas a fio de dedicação e olheiras. Depois, a criança precisa ser educada, precisa dos cuidados médicos, roupas e brinquedos, lá se vai o salário do mês. Por último a adolescência, que muitos pais denominam “aborrescência”, aquela idade que o jovem não está nem aí para nada, a rebeldia chega e pronto, mais olheiras e cabelos brancos.

Tudo isso está ligado a dedicação dos pais, mas em especial quem se preocupa um pouco a mais é a mãe. Por motivos ainda não explicados, a mãe tem uma ligação a mais com os filhos, talvez seja pelos nove meses com aquela barriga pesada e com os hormônios a flor da pele. Ou talvez seja por que as mulheres em geral tem mais sensibilidade e de certa forma isso afeta mais em se tratando de filhos. Pois bem, as mães estão lá em todos os momentos da vida de um filho, em muitos casos essa parceria é muito difícil.

Minha mãe que o diga, logo que eu tive meus anos de “aborrescência” ela estava saindo de um casamento fracassado, como se não bastasse uma doença iria chocar a família, o câncer de mama. Eu me culpo por que na época eu era uma daquelas adolescentes que não ligavam pra nada a não ser para o próprio umbigo. Então eu dei trabalho na época que minha mãe mais precisou da compreensão de todos.

Enfim, com muita luta, já que meu pai não ajudou em nada e meus irmãos faziam faculdade particular, minha mãe conseguiu vencer o câncer e criar a filha caçula que ainda precisava de educação. Alguns anos mais tarde, eu comecei a entender mais as razões da vida e a compreender minha razão na sociedade, então as brigas tiveram outro cunho: o serviço doméstico.

Resumindo, a convivência com minha mãe não é das melhores, mas eu jamais fui uma filha problemática, envolvida com drogas ou com amigos indesejáveis. O único problema é a nossa diferença, talvez até igualdade, de gênios, temos ambas um gênio muito forte.

Minha mãe sempre lutou com todas as garras para ser uma boa mãe, como todas as outras. A diferença é que ela teve que lutar com um pouco mais de força e medo que talvez outras mulheres não tenham: o divórcio, o câncer, a falta de trabalho. Ainda assim ela conseguiu com que os filhos fossem pessoas descentes, nunca se envolvendo com problemas da sociedade moderna e sempre seguindo o melhor caminho para as conquistas.

Minha rainha, musa, diva...

Minha rainha, musa, diva…

Então minha homenagem vai para essa mãe, que me cuidou, educou, brigou, e mais ainda, me amou incondicionalmente. Peço desculpas pelos meus erros, mas quem nunca não é mesmo. Hoje eu tenho a consciência de que tudo aquilo foi para meu bem, um eterno clichê de todas as mães. Dona Marta Beatriz Tebes, este dia das mães é apenas mais um de todos os anos, mas você é especial para mim todos os outros 364 dias do ano. Te amo.

E um Feliz Dia das Mães!

 

 

Mulheres têm opção sim de querer ou não transar

Atualmente existem alguns mitos relacionados ao sexo e a preferência das mulheres. Alguns homens desavisados ainda pensam que elas aceitam toda e qualquer forma do ato, mas não é assim. Hoje as mulheres têm preferências, fazem sexo oral se quiserem e até comandam as posições. E tem mais um detalhe, se elas quiserem, podem ter mais de um parceiro sexual, aliás se não há comprometimento, ninguém tem nada haver com a vida de ninguém não é mesmo?

Como nos meus outros textos escrevi sobre machismo, hoje, digamos, seja mais um texto da saga contra o machismo. Alguns homens ainda não aceitam que as mulheres tenham vida sexual ativa. Para eles as mulheres que saem a noite, encontram alguém e vão direto pro “vamos ver”, são tachadas como putas, biscates, piriguetes e por aí vai.

Também acontece dos homens “pegarem” as tais mulheres, terem o melhor sexo da vida deles e dizerem pra meio mundo o que ela fez ou deixou de fazer. É engraçado, porque se ela for a mulher independente (estilo Samantha do Sex and The City), que simplesmente não quer passar a noite agarradinha com ele, no outro dia ele irá dizer poucas e boas sobre ela, tudo porque ela não precisa de homem para que a noite dela esteja completa, ela pode muito bem dormir sozinha.

A eterna Samantha, o exemplo de independência feminina

A eterna Samantha, o exemplo de independência feminina

Em muitos filmes e até em séries, alguns dos primeiros encontros mostra o homem empurrando a cabeça dela pra fazer o tal do boquete. Sério isso é muito desagradável. Quer dizer que se as mulheres estão lá no maior amasso, a noite só irá valer a pena se rolar um oral no cara. Já para o cara querer fazer um oral nela, leva no mínimo muitas semanas para acontecer. Ah, e não vamos esquecer daqueles que nem chegam perto por não gostarem. Só que ninguém pergunta se as mulheres gostam de fazê-lo certo?

Por receio de perder o homem, têm mulheres que se perguntam a todo momento se está fazendo tudo direitinho, como se fosse obrigação satisfazer o homem. Então mulherada segue uma dica, não é necessário fazer nada que não queira. Já ouviram falar naquela frase “Se ele ficar bravo porque você não quis dar pra ele, é porque ele não te merece”, acreditem, isso é muito real. Sexo é bom, façam sem ter peso na consciência e sem se apegar aquele cara. Nem se preocupem se ele não ligar no dia seguinte. Se rolou uma sintonia, com certeza ele irá procurar.

Para as mulheres que buscam um relacionamento, não será aquele cara idiota que empurrou a sua cabeça que irá conquistar essa vaga. Os relacionamentos nascem da amizade, da sintonia de ideias, do sexo (claro), mas muito mais que isso, do companheirismo. Todos procuram conforto num relacionamento, jamais dores de cabeça ou obrigações. Imaginem passar o resto da vida com uma pessoa egoísta que não dá a mínima para o que você quer.

Então se depois disso, você homem que está lendo, pensar “nossa essa guria não sabe o que fala”. Acreditem, podem falar mal de nós mulheres, mas não esqueçam que se não for bom, nós nem faremos questão de atender às suas ligações.

Nostalgias de ex-namorados

Ex-namorados são como restaurantes. Você tem uma primeira impressão, seja por uma olhada ou por indicação. Você entra, observa o menu e usufrui de todos os serviços, até ficar bem satisfeita. Depois você analisa o ambiente, a comida, os funcionários e a condição do banheiro. Quando não se tem mais nada a fazer ali, você vai embora revelando a real situação do local, seja para o bem quanto para o mal.

Todos já tiveram ex-namorados que deixaram marcas, boas ou ruins. Para chegar a essa conclusão, foi preciso experimentar e o começo é sempre bom, até conhecer alguns defeitos que talvez deixassem a desejar.

images1

Mas porque quando lembramos dos ex pensamos no início? Fixamos aquele momento na mente como se só houvesse aquilo durante o tempo que ficaram juntos. Seria melhor lembrar dos momentos fracassados e os motivos que levaram à falência, do que o início maravilhoso.

images2

Por incrível que pareça, o começo dos relacionamentos deixam marcas que perduram por toda a vida. As músicas, os lugares, até mesmo roupas são representações daqueles momentos. Haja o que houver, são esses fatos que serão lembrados quando aquele momento é experimentado novamente.

As pessoas, depois de um breve período de tempo, relembram as coisas boas vividas, como uma espécie de catarse para os momentos ruins, porém, isso causa um certo conflito de sentimentos. Aquele relacionamento terminou por que alguma coisa deu errado, mas as pessoas lembram quando aquele período foi bom e sentem saudade daquele relacionamento, apenas lembrando dos bons momentos.

images

Isso não quer dizer que você ainda goste do ex, mas com certeza aquele início marcou uma nova fase em sua vida. Por mais que você não queira, ele esteve lá, fazendo parte dessa fase. A questão disso tudo é que apesar dos pesares, o passado bom que os ex-namorados deixaram ficarão registrados. Mas só como uma fase boa, como uma experiência para os próximos relacionamentos ou fazer da maneira certa desta vez ou errar novamente.

Mulher dona de casa? Não mais!

Até quando a mulher será tachada como uma empregada doméstica? Durante os últimos dias, eu sofri com esse preconceito. Me ofereci a cuidar de uma pessoa acidentada, tudo certo até aí, porém as pessoas acreditam que prestar assistência é sinônimo de “vou fazer a faxina em sua casa Sir!”. Resumindo, nós mulheres devemos apenas ser úteis para serviços domésticos. Não importa a ocasião, o grau de escolaridade ou a profissão, o trabalho dentro de casa é “obrigação” das mulheres. mulher A história da humanidade foi muito cruel com o sexo feminino. Pequenas coisas, como por exemplo respeito, demoraram muito para acontecer. Visto isso, as mulheres para conseguirem uma boa reputação e até mesmo um marido, precisavam ser prendadas (saber bordar, cozinhar, limpar a casa, tocar piano e outras coisinhas a mais). A casa era dever exclusivo de todas as mulheres, só que essa atitude persegue as do século XXI. Homens do mundo moderno entendam: as mulheres já se tornaram engenheiras, médicas, juízas, promotoras, delegadas, ou no meu caso, jornalista. As tarefas de casa, podem (e devem) ser compartilhadas com todos envolvidos. Pensar que isto é coisa de mulherzinha é machismo. Machismo para mim é sinônimo de antiguidade. mulher-do-trabalho-doméstico-28960829 Com tanta independência e autonomia, as mulheres podem escolher as prioridades diárias da vida. Hoje em dia as mulheres fazem o que realmente querem naquele exato momento. Por questões profissionais, tentam resolver os problemas do trabalho, algumas fazer cursos, pensam nas escolas dos filhos, até mesmo cuidam para que o casamento não termine. São muitas coisas que ganharam o lugar das atividades domésticas. A casa já não é mais o lugar onde se encontra mulheres que apenas vivem para isso. trabalho-doméstico Então uma dica para os homens, esqueçam das mulheres para que somente elas realizem a faxina dentro de casa. Mas entendam a rotina diária das mesmas, as circunstâncias e ajudem. Respeitem a igualdade que elas demoraram a conseguir, e não precisam ter vergonha em dividir tudo. Lembrem-se, o mundo moderno exige apenas respeito entre todos.

Maria da Penha, força e coragem em combate à violência doméstica

O tabu que considera a mulher ser do sexo frágil já foi quebrado há muito tempo. As mulheres não apenas são capazes de fazer atividades masculinas, mas conseguem aguentar certas coisinhas a mais que os homens nem conseguem imaginar.

Mas se tratando em aguentar dores e sofrimentos, nem tudo são flores. Existem muitas mulheres que sofrem agressões domésticas o tempo todo. Atualmente a cada 2 minutos, cinco mulheres são espancadas no Brasil. Dentre elas, a homenageada do dia é a cearense Maria da Penha Maia Fernandes, mais conhecida por Maria da Penha.

Maria_da_Penha_PassaporteMaria da Penha era como a maioria das mulheres, tinha um bom emprego e aparentemente um bom casamento. Quem poderia imaginar que um professor universitário de economia poderia aterrorizar a vida dela para sempre. Ele tentou matá-la duas vezes, tendo a primeira deixado-a paraplégica. Não contente, ele tentou uma segunda, jogando ela dentro do chuveiro e tentar eletrocutá-la. Na primeira tentativa ele alegou pensar estar sendo vítima de assalto.

O agressor Marco Antonio Herredia Viveros foi a júri duas vezes, primeiro em 1991 quando os advogados conseguiram a anulação do julgamento. A segunda, em 1996, foi condenado a oito anos de prisão, mas os advogados entraram com recursos e cumpriu apenas dois anos. Atualmente ele está em liberdade.

Maria da Penha luta até hoje contra os crimes de violência à mulher. Ela é coordenadora da Associação de Estudos, Pesquisas e Publicações da Associação de Parentes e Amigos de Vítimas de Violência (APAVV); e também escreveu o livro “Sobrevivi… Posso Contar”, narrando a própria história.

Maria da PenhaO caso Maria da Penha ganhou repercussão internacional quando denunciado a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (OEA), assim o governo brasileiro sancionou a lei 11.340, em 2006, levando o nome dela. Precisou de 20 anos para que a mulher que confiava no marido pudesse enfim conseguir justiça.

Mas, depois de toda essa história é difícil acreditar como os homens ainda vivem na Idade da Pedra. As mulheres já se viram em mil para trabalhar, estudar, cuidar da casa e fazer um agrado aos maridos e namorados, e muitas recebem o mesmo que a Maria recebeu. Nenhuma justiça no mundo pode trazer os movimentos das pernas dela, mas os homens deveriam parar de imaginar que as mulheres devem fazer as suas vontades e cuidar da pessoa que mais faz de tudo para ver o lar em harmonia.

Maria da Penha é a guerreira que proporcionou a muitas mulheres a oportunidade de condenar os agressores. Poderia ser de outra maneira, mas nas duas tentativas de homicídio, ela conseguiu sobreviver para mostrar que essa realidade, infelizmente, invade muitas casas no Brasil.

As mulheres não deveriam precisar de leis e datas especiais para serem lembradas como tais. Elas precisam de igualdade e respeito, assim como todos os outros. Mulher sexo frágil, não mais. Homens que não merecem o titulo de “homem”, existem aos milhares.penha

Palavras para serem ditas e não jogadas ao vento

palavras (1)

“Ela estava triste, pegou o celular e viu o telefone dele. Então ligou. Soluçando ela disse: Oi amor, te liguei porque tô triste. Enquanto ela despejava os problemas, ele do outro lado da linha só respondia: Hum; Que coisa; Nem esquenta. Ela percebeu que isso não a estava ajudando e disse que iria desligar, para não incomodar. Ele, no entanto respondeu: Ok então, até amanhã.”

As palavras têm um poder muito forte na vida das pessoas. Enquanto algumas confortam, outras machucam. Mas, a falta delas transforma os sentimentos em dúvidas. Quando as palavras são expressas, via escrita ou oral, elas mostram o real sentimento do mensageiro. É possível saber se aquilo é amor, raiva, alegria ou tristeza. De alguma maneira, é possível entender.

Já o silêncio traz a dúvida e isso gera conflitos pelas duas partes: a pessoa não consegue mostrar o que está sentido e a outra não compreende, gerando brigas e discussões. Parece algo bobo, mas como na história acima, a garota precisava de palavras para ser confortada, o que não aconteceu. Ou ainda, a falta de demonstrar sentimentos, como por exemplo o fato de dizer “Eu te amo”, acaba prejudicando o convívio na relação. E se tratando de dúvidas, o relacionamento pode até chegar ao ultimato.

Então para aqueles que sentem dificuldades em se comunicar, segue algumas dicas para expressar os reais sentimentos:

1-      Leia poemas e versos: é mais fácil conhecer como funciona a arte de escrever para iniciar as próprias cartas de amor. Copiar é plágio, mas pegar a essência não. Então experimente ver como os versos foram criados e sinta a magia para fazer os próprios.

2-      Faça o teste do espelho: o espelho é muito mais do que apenas um vidro espelhado, ele serve para ensaiar e treinar apresentações, observar como anda a pronúncia de novos idiomas, e também treinar uma conversação. Finja estar conversando com outra pessoa e interprete. Vale até fazer caras e bocas, mas o principal, não deixe de tentar.

3-      Diga algo, nem que seja apenas uma palavra: quando estiver conversando com alguém de verdade, fale sem medo. Pode ser apenas uma única palavra, mas basta que a outra pessoa a entenda.

4-      Seja sincero com seus sentimentos: diga sempre a verdade. Não adianta fingir algo para agradar outrem, tem que fazer valer apenas o que manda os seus sentimentos.

5-      Se nada disso der certo, procure ajuda profissional: psicólogos e fonoaudiólogos existem para ajudar todo mundo, não só apenas quem tem problemas. Não é nada vergonhoso buscar ajuda, pois se existir algum bloqueio, é o profissional que irá ajudar.

Lembre-se, as palavras têm um enorme poder. Elas devem ser usadas, com cautela, mas usadas. Temos o direito de mostrar nossos sentimentos e ajudar pessoas que precisam ouvir algo reconfortante.