FELIZ DIA DA MULHER! – o mundo do ponto de vista feminino

Sim, eu sei, o dia das mulheres já passou, mas todo dia é seu mulher única que representa muitas ..

  “Who are we? What we run? We run the world! Who run the world? Girls!!”

Mas e ai mulheres sabemos que temos o poder? todas nós sabemos que somos únicas? Conhecemos a liberdade sexual, intelectual e a possibilidade de lutar por nosso espaço? Temos consciência desse poder que nos foi dado por nossas mães e feministas guerreiras nos anos 70?

Século XXI, ano 2013, e parti em busca da definição de “mundo” do ponto de vista feminino moderno, claro para isso atormentando algumas mulheres que tenho a honra de conhecer e carinhosamente me responderam com uma frase ou palavra, o que é para elas esse “mundo”:

sonho realidade

“O mundo é muito mais do que os olhos podem ver” – Sonia Silva

“O mundo.. Injusto”

“O mundo.. Injusto” – Becca

“Falando sobre o mundo penso nas conquistas femininas nos últimos anos... trabalhos que antes eram exercidos por homens e hoje o são por mulheres, e por sinal efetuados com muito exito.. nossa presidente!”

“Falando sobre o mundo penso nas conquistas femininas nos últimos anos… trabalhos que antes eram exercidos por homens e hoje o são por mulheres, e por sinal efetuados com muito exito.. nossa presidente!” – Cris Coelho

“O mundo... nós sempre pensamos na opinião dos outros... queremos aprovação...”

“O mundo… nós sempre pensamos na opinião dos outros… queremos aprovação…” – Rosana Aguirre

“eu resumiria em "oportunidade" porque, segundo minhas crenças, essa vida é uma oportunidade de evoluir e o mundo está aqui pra nos proporcionar isso então o mundo é oportunidade”

“eu resumiria em “oportunidade” porque, segundo minhas crenças, essa vida é uma oportunidade de evoluir e o mundo está aqui pra nos proporcionar isso então o mundo é oportunidade” – Angelita Friedrich

“Doce ...com menos hipocrisia, pensou, sonhou, realizou !!”

“Doce …com menos hipocrisia, pensou, sonhou, realizou !!” – Vilma Burmann

“‘Mundo... acho que pens0 em conquistar o meu espaço, ser mãe...”

“‘Mundo… acho que penso em conquistar o meu espaço, ser mãe…” – Adrieli Urias

 O Mundo do ponto de vista feminino é um pouco de todas essas frases, e muito mais. Cada mulher ao seu modo transforma diariamente o seu mundo, e de todos que a cercam.

Torço para que cada vez mais nós mulheres tomemos consciência de nosso poder e dever de agir frente ao mundo.

Ao nosso modo façamos como aquelas caras pintadas que nos antecederam, a quem rendo toda homenagem.

Então finalizo com a minha opinião, a de que o mundo é um palco, você só precisa ter  coragem de subir lá e arrasar!

De tudo que não é

A grande verdade é que a vida não passa de um péssimo romance, cheio de clichês, personagens fracas e mal construídas… É isso, não tem sentido algum, não há recompensa no final, nada a ser descoberto.

Sim, estou em pleno inferno astral, tudo o que preciso é de uma bela de uma faxina emocional. Sinto como se tivesse toda a história da humanidade sobre as costas. O mundo apoiado em meus ombros. E eu sou tão fraca.

Ponderar sobre o que se é ou o que se deseja ser é uma das coisas mais idiotas que já vi e faço em minha vida. Quis tanto ser uma escritora que me tornei uma de minhas personagens, ou melhor, uma das anti-heroínas de meus livros preferidos.

Sou uma escritora fracassada, auto-biógrafa, de personalidade cínica e agressiva. Nada de simpatia ou compaixão própria. Almejei ser Simone de Beauvoir, mas acabei como uma copia fajuta de Dan de Closer – ou algo parecido.

closer-11

Querido leitor, a verdade é que viver é feio, não é interessante. Não somos personagens complexas, somos rascunhos amarelados, esquecidos por Deus, Deusa ou Freud – insira aqui algum ícone em que você acredita -.
Viver não é doce, não será doce, é fel puro! E apesar disso vivemos. Porque somos fracos para renunciar às coisas. Coisas que não gostamos, não acreditamos e não queremos. Não renunciamos em uma atitude egoísta e desesperada de parecer forte, interessante ou uma dessas outras bobagens.

Seguimos com esse amargo na garganta, esse nó no peito e as mãos vazias e machucadas. Engolimos a vida quente, porque pensamos que seguir em frente pode significar algo bom em alguma esquina, bar ou beco de outra cidade. Quem sabe outra vida tão medíocre nos cruze o caminho e aí, teremos, quem sabe, uma chance de ser feliz.

“Ser feliz” essa sentença impressa em todos os outdoors, muros e embalagens esfregando em nossa cara a nossa própria e eterna “não-felicidade”.

Leitor, que me é tão caro, se você chegou até aqui deve estar com pena de mim, com raiva ou coisa que o valha. Não o faço, eu suplico. Se escrevo isso aqui não é com fins didáticos, para que você comece a ver as coisas de outro modo, prestando atenção aos detalhes “bonitos”. Não é nada disso, não lhe recomendaria tamanha estupidez. São essas ditas coisas bonitas que tornam nossa vida ainda mais miserável e nos mantém presos a esse sistema. São as migalhas que nos dão para não nos matarmos ou enlouquecermos totalmente.

sad
Escrevo aqui tão e somente porque sou egoísta e quero me livrar de todo esse monte de lixo e entulho de sentimento que levo represado. E, claro, isso também: não tenho mais dinheiro para pagar terapia.
Você discorda de mim? Ótimo!

Meus ombros suportarão o peso do mundo?

Eu tenho vinte e poucos anos e todos os planos do mundo.

Será que meus ombros suportarão o peso do mundo?

Será que isso vai me levar a algum lugar?

Eu ainda não fui e já quero voltar.

Será que vale a pena?

Isso realmente vai me fazer bem?

Isso vai fazer “alguém” de mim?

Quando vou descobrir quem eu sou?

O que quero?

Será?

E agora?

Quando vou descobrir?

Quando?

Vou?

E o mundo com isso?

E eu com isso?

Com aquilo?

Àquele?

 

Eu tenho vinte e poucos anos e todas as perguntas do mundo, eu não devia (te) dizer, mas as segundas e o chocolate quente me botam comovida como o diabo.