Libere o seu lado mafagafa

Falar sobre o comportamento feminino é um tanto quanto complicado, pois generalizar é tendência. Não no nosso caso, é claro. Por exemplo, neste ninho, há vários tipos de mafagafas, cada uma diferente das outras e cada qual com as suas características marcantes. É lógico que ninguém é perfeito ainda bem, e, talvez a diferença seja essa: existem as mulheres que buscam a perfeição (aos olhos alheios) e as mulheres que têm isso em si.

Mulher não pode beber e fumar. É feio!”. Ou então: “Futebol é coisa de homem” e até: “Mulher não pode falar palavrão”. Ok, sobre falar palavrão eu até concordo, apesar de não praticar. E acho que ambos os sexos deveriam conter seus vocabulários. Digo: meu léxico não é um dos mais formais e muitas vezes (quase sempre) escorrego nas palavras “feias”.

O fato é que, infelizmente, os rótulos são dados e o pior: ainda são reproduzidos. E isso para tudo. Só que, como o assunto aqui são as mulheres, vamos lá: muitas espécimes preferem ir ao bar, ao invés de ir ao shopping. Mulheres entendem tão bem (e até melhor) de futebol, quanto certos homens. Elas também tem fetiches, adoram sexo e tem pensamentos obscuros. Porém, nem toda mulher tem isso de ir ao banheiro só com outra amiga e o fato de não estar não usar salto alto e maquiagem 24h por dia não faz dela “menos mulher”. Isso também não quer dizer que não se emocionem assistindo algum filme #mimimizento ou que não gostem de flores e detestem romantismo.

E você, homem que nos visita, acredite: sua namorada pode SIM gostar do convite para o futebol com os seus amigos, ou para o churrasquinho depois desse evento. Também pode falar algumas besteirinhas durante o dia, isso vai fazer com que ela perca a concentração no que estava fazendo e, sinceramente, isso é bom (você vai perceber depois).

Então mulherada, liberem a mafagafa que existe em vocês. Não é preciso levantar bandeiras e exigir aceitação, essa vem de dentro. Se o sapato aperta, troque. Se a maquiagem incomoda, tire. Prefira conquistar com a inteligência.

Afinal, “Uma mulher decente, é a mulher que tem inteligência, não aquela mulher que é perfeita e só tem vácuo no cérebro.” (Luis Oliveira)

Mulher pode!